A garganta e suas subdivisões

Para entender porque a garganta está lhe incomodando, antes de ir ao médico, geralmente você abre a boca e coloca a língua para fora em frente ao espelho.

O objetivo disso é notar que está com a garganta “vermelha” para então imediatamente confirmar que há algo errado.

No entanto, a região da garganta vai muito além daquela parte que fica visível quando você se olha no espelho e coloca a língua para fora.

Ali vemos apenas o exterior da garganta e a parte onde se localizam as amigdalas. E essa região é composta por vários outros órgãos como a faringe e a laringe.

Partes da garganta
Partes da garganta

As causas dessa “vermelhidão” podem ser as mais variadas, indo desde uma simples irritação causada pela baixa umidade do ar a até mesmo infecções causadas por vírus ou bactérias ou doenças mais graves como o câncer.

A verdade é que a garganta envolve partes que participam tanto do sistema respiratório quanto do sistema digestivo.

Razão que explica porque pessoas com refluxo ou gastrite podem desenvolver irritações na garganta sem necessariamente estarem com alguma infecção de vírus ou bactérias.

Quer conhecer mais sobre essa região e suas subdivisões? Siga a leitura e entenda quantas coisas podem estar envolvidas em algo tão simples como uma dor de garganta:

Amigdalas

As amigdalas são tecidos arredondados que se localizam em diferentes partes da boca.

Existem três tipos delas: amigdala rino-faringea, que fica entre a faringe e o canal que leva ao nariz; amigdalas palatinas, que ficam no fundo do céu da boca; e as amigdalas linguais, que ficam na base da língua.

Basicamente todas têm a mesma função, pois são gânglios linfáticos que ajudam o corpo a criar anticorpos, para manter as bactérias e também qualquer tipo de germes longe de locais que possam causar infecções.

amigdalas grandes
amigdalas grandes

Elas funcionam como se fossem guardiãs da entrada da garganta. Afinal ao comermos algo ou até mesmo no simples ato de respirar estamos constantemente em contato com vírus, bactérias, germes e até mesmo poeira.

Assim, o principal objetivo das amigdalas é ajudar o organismo a criar imunidade.

No entanto, elas também podem ser acometidas por esses agentes infecciosos, causando assim a chamada amigdalite.

Até o final da década de 70 a função das amigdalas ainda era desconhecida, razão que levava médicos a sugerir sua retirada em casos de amigdalites.

Faringe

A faringe consiste em um longo canal que está localizado logo atrás das fossas nasais e da cavidade da boca.

É um órgão que pertence tanto ao sistema respiratório quanto ao sistema digestivo.

Possui entre 12 e 14 cm e se subdivide em três partes: faringe superior ou nasofaringe que é a parte mais larga do órgão.

É onde se encontra a amigdala rino-faríngea; faringe média ou orofaringe e a faringe inferior ou laringo-faringe.

faringe
faringe

Sua função é permitir a circulação do ar em direção aos pulmões e a passagem dos alimentos rumo ao estômago.

O ar passa pelas três subdivisões da faringe quando entra pelas vias nasais, agora quando você respira pela boca passa apenas pela faringe média e inferior.

Quando se trata da função da faringe durante a digestão, o alimento passa apenas pela faringe média e inferior e então segue para o esôfago.

O que permite que a faringe desempenhe essa dupla função é a presença da epiglote, uma espécie de válvula situada na parte superior da laringe.

Quando uma infecção atinge essa região é chamada de faringite.

Cordas vocais

As cordas vocais estão localizadas no interior da laringe e fazem parte de uma das regiões da garganta que também pode ser atingida por algumas doenças.

São um tecido musculoso que produz o som de nossa voz ao vibrarem com a expulsão do ar para fora dos pulmões.

Suas fibras são elásticas e se distendem e relaxam, permitindo que se produzam os mais variados tipos de sons.

Todo ar que inspiramos e expiramos passa pelas cordas vocais. No entanto, quando estão relaxadas não produzem som algum.

Cordas vocais
Cordas vocais

Quando praticamos o ato de falar ou cantar, o cérebro envia uma mensagem aos músculos que controlam as cordas vocais para que façam a aproximação das cordas, distendendo-as.

Assim o resultado é a produção de vibrações – e consequentemente sons – quando o ar é expulso dos pulmões pelo diafragma.

Doenças que podem acometer as cordas vocais envolvem a rouquidão, desgaste das cordas vocais, nódulos e pólipos.

Laringe

Localizada na região do pescoço, a laringe pertence apenas ao sistema respiratório e abriga as cordas vocais em seu interior.

É um tubo oco formado por cartilagens, ligamentos e músculos e ajuda a conduzir o ar para o interior dos pulmões.

Exerce função respiratória, conduzindo o ar até os pulmões e ajudando a expulsá-lo para fora do corpo, fonatória, pois permite que as cordas vocais vibrem e produzam sons e também impede a entrada de partículas estranhas.

Seu tamanho é curto, porém variável. Normalmente é maior nos homens do que nas mulheres.

laringe
laringe

Sua entrada é denominada glote e logo acima encontra-se a epiglote que funciona como uma válvula, pois fecha essa abertura enquanto você engole algum alimento.

Possui uma entrada que forma dois pares de pregas, sendo o primeiro as chamadas falsas cordas vocais e o segundo as verdadeiras cordas vocais.

As falsas cordas vocais não desempenham nenhuma função. Dentre as infecções que atingem a laringe se encontra a laringite.

Agora que você conhece todos os órgãos que compõe a garganta sabe que uma irritação que lhe incomoda pode estar relacionada não apenas a parte externa dessa região!

Deixe um comentário